30 anos do clássico “Pretty in Pink”

by

john-hughes-pretty-in-pink

É difícil de acreditar, mas um dos maiores clássicos do meu mestre favorito do cinema, John Hughes completou trinta anos de vida neste último domingo.

Eu confesso que não lembro quando foi que surgiu o meu amor incondicional pelo filme “Pretty in Pink” (A Garota de Rosa Shocking), mas posso afirmar que motivos não faltam. Ele é uma das comédias românticas adolescentes mais importantes da década de 80, além de ter uma das trilhas sonoras mais marcantes do cinema moderno.

01

Outra coisa bem interessante sobre o filme é abordagem impecável de temas adultos, como o desemprego, o alcoolismo e as diferenças sociais. É muito fácil se identificar com os personagens, querer desesperadamente o figurino da protagonista e escutar “If You Leave” sem parar.

A escolha do elenco principal é uma paixão à parte! O amor já começa com a protagonista Andie, porque Hughes escreveu o papel com a Molly Ringwald em mente. Ele sabia que a Molly seria a única atriz que poderia representar a personagem do jeito que deveria ser. A relação de cumplicidade dos dois era muito fofa!

Não consigo imaginar outro ator interpretando o maravilhoso “Duckie” Dale sem ser o Jon Cryer, mas já aviso que ele não foi a primeira opção dos produtores. Anthony Michael Hall não quis fazer o papel com medo de ser estereotipado como um “nerd”.

Ainda bem que ele recusou, porque eu acho que seria meio que uma revival de “Gatinhas e Gatões” 

O que dizer de Andrew McCarthy como Blane? Ele realmente tinha carinha de garoto sonho, aquele que você escreve o nome várias vezes na última folha do caderno com um monte de coraçõezinhos em volta. Apesar de sentir ódio, eu também sentia muito amor reprimido ao ver o James Spader como Steff. Sem dúvida, um dos vilões mais bem vestidos de Hollywood.

02

Vale a pena registrar que o filme já serviu de inspiração para duas séries favoritas do meu coração: Dawson’s Creek e Glee. Ou seja, tem como não amar

Isso é só uma pequena amostra do que faz com que “Pretty in Pink” seja um clássico tão especial para mim. É inegável o amor que sinto por ele e por toda a obra de John Hughes. Se você já assistiu, recomendo que veja de novo! Se você ainda não conhecia, coloca agora mesmo para assistir.  E aí, qual é o seu sentimento pelo filme? Conta para mim.

Pretty in Pink, Anos 80 e Brat Pack. Tudo isso É Muito Supimpa Girl!

0

No Comments Yet.

O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *